Falar de acessibilidade é falar sobre cada um de nós e sobre a transformação dos espaços sociais

Falar de acessibilidade é falar sobre cada um de nós e sobre a transformação dos espaços sociais

“A acessibilidade pode ser dividida em 3 pilares de sustentação: conforto, segurança e autonomia. Quando a gente quebra acessibilidade nesses pilares, fica mais fácil de entender que a gente está falando de todo mundo. Porque, há alguém que não gosta de conforto, segurança e autonomia?”.  

Com essas palavras, somos inspirados por Bruno Mahfuz, o fundador do Guiaderodas, uma empresa de tecnologia a favor da acessibilidade que nasce a partir de sua própria história de vida como cadeirante há mais de 20 anos. 

A partir da compreensão desses pilares, Bruno Mahfuz enfatiza que a acessibilidade deve ser vista como um diferencial estratégico para os negócios. O propósito do Guiaderodas é mostrar justamente que a acessibilidade beneficia a todos e, consequentemente, desmistificar a percepção comum de que a acessibilidade é necessária apenas para pessoas com deficiência (PCDs): 

“Além das pessoas com deficiência, a falta de acessibilidade atrapalha gestantes, bebês, pessoas contundidas, idosos, mulheres de salto alto, pessoas puxando mala de rodinha ou carregando um objeto pesado… Acessibilidade é para todos.”

Uso de tecnologias simples para ser, realmente, inclusivo 

Com a premissa de que é necessário falar de acessibilidade para todas as pessoas, Bruno Mahfuz defende que se deve usar as tecnologias mais disponíveis, para que sejam mais acessíveis e também mais fáceis de serem utilizadas por qualquer pessoa. 

O aplicativo do Guiaderodas usa uma tecnologia simples de um geolocalizador e outras funcionalidades que permitem ele ser acessível a todos. Para Bruno Mahfuz, o sucesso do Guiaderodas vai além da simplicidade da tecnologia, ele está também na visão otimista, na comunicação leve e na consideração das virtudes de cada um: 

“Nós por definição somos otimistas. Então, por definição, desde o instante  zero, nós não apontamos os problemas, nós enaltecemos as virtudes”. 

Leia também: Para a construção de um ambiente de impacto é necessário considerar a questão racial

Por meio do app, é possível que qualquer um avalie a acessibilidade de locais diversos. Atualmente já existem avaliações em mais de 3000 cidades espalhadas por mais de 100 países. Segundo Bruno, esse exercício, além de expandir nossa consciência, provê informações para que pessoas com restrição de mobilidade tenham maior previsibilidade na hora de traçar seus destinos.

“O mundo ainda não é acessível, porém, se disseminarmos a importância desse tema, certamente as próximas gerações terão uma realidade diferente”

Já pensou em poder saber mais sobre o Bruno e sua trajetória empreendedora? Conhecer os desafios do início dessa trajetória e entender como eles podem ser enfrentados? 

Além de fundador do Guiaderodas, Bruno Mahfuz também é professor na Ago Social, e participa de um bate-papo com nossos alunos sobre esses desafios. Para participar dessa troca, faça sua inscrição para a próxima turma do programa Empreendedorismo Social na Real:

Fazer Inscrição

Adicione um comentário

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.