Seu negócio social é viável?

Seu negócio social é viável?

A percepção de que é possível empreender e, ao mesmo tempo, melhorar as condições de vida de um grupo de pessoas tem atraído cada vez mais empreendedores para os negócios sociais. Gerar, ao mesmo tempo, impacto social e valor econômico, entretanto, é um grande desafio.

Um negócio de impacto social continua sendo um empreendimento e, portanto, precisa ser viável para sobreviver. “Um tema que é ainda pouco abordado no ensino e acelerações de impacto social no Brasil e que é um grande desafio é a análise de viabilidade de negócios de impacto de maneira prática e realista, para que se possa avaliar se o negócio social é viável ou não, antes de tirá-lo do papel”, comenta Flávia Feliz, mestre em Empreendedorismo Social pela Marshall Business School, da University of Southern California.

Nesse contexto ela dá algumas dicas:

  • Realize pesquisas e outros métodos investigativos para descobrir as reais necessidades dos seus futuros clientes.

  • Entenda o ecossistema em que seu negócio estará inserido para desenvolver soluções que sejam complementares e inovadoras em relação a outras iniciativas já existentes e também pensem de forma sistêmica.

  • Comece a construir o seu plano de negócio. Não esqueça de contemplar projeções financeiras como: os recursos (financeiros, materiais etc.) que já estão disponíveis, a expectativa de receitas e despesas do seu negócio, possíveis formas de financiamento, uma estimativa de fluxo de caixa, entre outros.

  • Converse com investidores anjos, que são pessoas engajadas em orientar e apoiar empreendedores iniciantes, e podem dar dicas importantes sobre o mercado.

Impacto Social

A viabilidade de um negócio social, entretanto, não se dá só pela avaliação de seu valor econômico. O empreendedor precisa não só conhecer a fundo seu público e produto, mas também – e principalmente – o propósito daquele negócio, ou seja, qual problema social ele vai ajudar a resolver.

É imperativo ter empatia pela causa, conhecer o problema que pretende impactar e seus atores, ou seja, as pessoas e suas peculiaridades. É preciso se colocar no lugar daquele a quem se busca beneficiar, a fim de conhecer suas motivações e necessidades. Para Flávia, “não é necessário reinventar a roda, basta olhar o que os atores estão fazendo e perceber se há alguma maneira de realizar o seu propósito de maneira colaborativa”.

Se você tem empatia e conhece seu público, é momento de definir a intencionalidade do seu negócio, é ela quem permite agir em cima dos problemas reais encontrados e definir as metas para atingir o seu propósito social que é o objetivo principal do seu negócio, sua missão empreendedora.

 


 

Pronto para empreender? Continue conosco! Acompanhe nossas publicações e faça perguntas!

Adicione um comentário

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.