Não existe “jogar fora”: o poder da nova economia circular

Não existe “jogar fora”: o poder da nova economia circular

Todos nós estamos no vermelho. Você sabia? Estamos devendo! Segundo a Rede de Pegada Ecológica Global, se todos os habitantes do Planeta Terra fossem moradores dos Estados Unidos, nós estaríamos consumindo recursos naturais de 5 planetas por ano. Mas temos apenas um só planeta. E, no ritmo de consumo brasileiro, também estamos devendo. 

De onde vamos tirar mais recursos naturais, recursos florestais, minerais para produzir todas as tecnologias que precisamos para viver? 

Tudo que é comprado, produzido, vendido e consumido por um negócio deve possuir um processo de equilíbrio, especialmente quando falamos do lixo gerado. Você já parou para pensar que não existe “jogar fora”? Temos um só planeta para onde todo o lixo é destinado. E este lixo pode ter outra finalidade. E se você pudesse gerar adubo a partir das sobras de alimentos? E se você pudesse reciclar mais a garrafa, o papelão que você produz?

Como funcionava a Economia Linear?

Na antiga Economia Linear, nós extraímos os recursos naturais, produzimos, utilizamos em produtos e serviços nas mais diversas aplicações, depois simplesmente descartamos. 

Tudo nesse formato se torna descartável, desde os resíduos gerados na produção dos bens de consumo até as embalagens e o próprio produto final, que tem vida útil e em determinado momento se tornará lixo.

Esse modelo é insustentável não somente no aspecto ambiental, mas também mercadológico. A escassez de matéria-prima gera aumento nos preços, que prejudica tanto o produtor quanto o consumidor. Não temos mais espaço para isso.

O que muda com a Economia Circular?

Na nova economia circular, nós temos preferência por matérias-primas recicladas para a produção, ao invés de matérias-primas virgens. Esta é uma das várias vertentes possíveis. Estamos aqui pensando com uma mentalidade circular. Estou coletando latinhas de alumínio que foram consumidas, reciclando, produzindo novamente, consumindo, coletando… É um círculo sem fim!

E com menor impacto ao meio ambiente, eficiência de custos, com geração de oportunidades de renda para muitos negócios e organizações de impacto, como a Boomera, que transforma resíduos em matéria-prima para a criação de novos produtos. 

Outro aspecto vantajoso da economia circular está na sua adaptabilidade. Pode ser aplicada a empresas de todos os tamanhos, que atuam com diferentes modelos de negócio e produtos. Confira alguns exemplos de aplicação:

  • aumento da durabilidade – tem como objetivo desenvolver produtos com maior vida útil e reduzir os impactos da obsolescência programada. Indicado para produtos com alto valor agregado e que podem passar por manutenções para durar mais;
  • upcycling (reutilização) – um conceito comumente associado à indústria da moda, consiste em dar um novo propósito para resíduos que seriam descartados. Geralmente o upcycling está ligado diretamente ao design criativo de produtos;
  • compartilhamento – ótima aplicação para produtos com pouca recorrência de uso. Um exemplo disso é o aluguel de bicicletas, que oferece melhor aproveitamento do produto e a vantagem da acessibilidade para o consumidor;

Mais benefícios da economia circular

Existem dois principais benefícios da economia circular:

  1. atendimento aos desejos do cliente – a economia circular pode fornecer aos consumidores produtos mais duradouros, além de atender aos anseios de um consumidor cada vez mais valoriza às questões ambientais;
  2. competitividade – a atuação em escala da economia circular já está trazendo ganhos enormes para negócios em todo o mundo, reduzindo custos e gerando eficiência. 

Os negócios de impacto podem aproveitar os benefícios do momento, endereçando desafios da Economia Circular com produtos e serviços para um mundo mais próspero ambientalmente.

Texto produzido em parceria com Orlano Nastri:

orlando nastri - Tem ampla experiência com projetos e pessoas envolvidas em ESG (Governança Ambiental, Social e Corporativa), nos mais variados tópicos: economia circular, energia renovável, negócios de impacto social, estratégia ESG, retorno social sobre investimento  (S-ROI), cadeia de fornecimento sustentável e emergência climática.

Tem ampla experiência com projetos e pessoas envolvidas em ESG (Governança Ambiental, Social e Corporativa), nos mais variados tópicos: economia circular, energia renovável, negócios de impacto social, estratégia ESG, retorno social sobre investimento  (S-ROI), cadeia de fornecimento sustentável e emergência climática.

Orlando Nastri também é professor convidado da AGO no programa Empreendedorismo Social na Real, abordando temas como modelagem de negócio, geração e medição de impacto. 

Divulgue esse texto pelo WhatsApp:

Adicione um comentário

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.